Skip to content

Leonel Moura

1948
, Lisboa, Portugal

Leonel Moura (Portugal) é um artista conceptual que promove um novo tipo de arte baseada na criatividade das máquinas. O seu trabalho evoluiu, no final dos anos 90, da fotografia para a Arte Robótica e para a Inteligência Artificial .

Produziu diversos robôs-pintores, bem como o Robotarium – um zoo para robôs. Em 2006, cria o RAP (Robotic Action Painter) – em exposição permanente no Museu Americano de História Natural de Nova Iorque – um robot que desenha com base na emergência e na estigmergia, decidindo quando a obra está acabada e assinando-a. Outros dos seus trabalhos incluem instalações interativas, swarm paintings, esculturas e até uma adaptação da peça R.U.R. (Rossum’s Universal Robots) de Karel Capek, onde três robots atuam lado-a-lado com três atores humanos. É ainda o autor de diversos livros dedicados às artes e ciências.

Em 2009, Leonel Moura foi indicado para Embaixador Europeu da Criatividade e Inovação.

Desde o Verão de 2019, tem uma instalação de 17 esculturas de Realidade Aumentada semelhantes a vírus em vários locais da cidade de Lisboa. 

NEO o enxame de robôs, recentemente criado,  irá actuar pela primeira vez na UCCA, Pequim, em 2020.

A obra de Leonel Moura pode ser considerada dentro de uma linha de máquinas de desenho que inclui a Metamatics de Jean Tinguely da década de 1950, o programa de computador Aaron de Harold Cohen, iniciado em 1973 e Derivation of the Laws, de 1990, de Roman Verostko. O que a distingue é que consiste em robôs autónomos que coletivamente respondem uns aos outros e ao seu meio ambiente para gerar complexidade emergente, um princípio fundamental da pesquisa científica em vida artificial e biologia sintética.”

Edward A. Shanken in Flash Art, 316, Setembro/Outubro 2017

 

@ The New Art Fest 2020

Partilhar esta página