Skip to content

Sam Heydt

1986
, USA, based in Vienna, Austria

SAM HEYDT (Estados Unidos da América, 1986), trabalha com diferentes tipos de media – filme, vídeo, instalação, fotografia, escultura, som e texto. A obra de Heydt apresenta uma proposta abstrata para um mundo na periferia da história, que não parece apenas assombrado pelos fantasmas do passado, mas também construído num mundo assombrado.

Sam Heydt, é um artista americana de prática social e meios de comunicação reciclados da cidade de Nova Iorque. Apesar de residir actualmente em Viena, Heydt viveu/trabalhou em Paris, Veneza, Amesterdão, Atenas, Buenos Aires, Sydney, Reykjavik e Rajasthan.

É licenciada em belas artes pela Parsons School of Design, bem como em estudos de comunicação social pela The New School, Cooper Union, e Universidade de Amesterdão e, por último, em linguística pela Universidade de Buenos Aires e La Sorbonne.

Depois de completar os seus estudos, lançou Jane Street Studio, L.L.C. em Manhattan. Desde a sua fundação, a empresa expandiu-se para prestar consultoria de design e marketing, para além de fotografia e direcção de arte. Os seus clientes estendem-se pela Europa, América do Norte e do Sul, Ásia e Oceânia. Assegurando este empreendimento empresarial, Heydt passou a frequentar residências artísticas na Islândia, Austrália e Nova Zelândia; onde começou a documentar a exploração do mundo natural.

Autora publicada, produtora e activista ambiental e social ao longo da vida, Heydt realizou uma série de trabalhos altruísticos, sem fins lucrativos – sendo o mais recente em Rajasthan, Índia, onde ajudou a produzir um documentário de longa-metragem sobre prostituição infantil. Ela também é voluntária no ensino de refugiados na Europa. Ancorada na defesa social, a sua arte tenta dar voz aos velados, aos esquecidos, aos exilados, aos condenados e aos silenciados.

A visão de Heydt olha para além do normal. Na sua prática, ela trabalha num espectro de diferentes meios – filme, vídeo, instalação, fotografia, escultura, som, merchandising, texto – e emprega uma gama de materiais que muitas vezes reinventam ou invadem a sua utilização associativa. Considerada como uma das pioneiras do movimento dos meios de comunicação reciclados, o trabalho de Heydt tem sido exibido em todo o mundo em galerias [Kunstkomplex, Faena, Milk Gallery, Fundação Gabarron, Das Weiss Haus, Queen Street Gallery, Broadway Gallery, Noelle Lopez Gallery], museus [State Hermitage Museum Russia, PERM Museum, Newport Art Museum Krasnoyarsk Museum, Museum of Novosibirsk], e feiras de arte [Art Basel, Scope, I Never Read, Artissima, Art Cologne, Art Miami, Art Copenhagen, Fridge Art Fair, Clio Art Fair, Vienna Contemporary, 5th Biennale of Fine Art, Argentine Biennale]. Os projectos e prémios notáveis incluem: Aesthetica Art Prize, London Group Open Art Prize, LACDA, Call for Chelsea, PX3 Prix de la Photographie, ImagoRevolution, LICC, Celeste prize. Além disso, os filmes de animação directa da Heydt também foram exibidos em centenas de festivais internacionais [SxSW, Video Art Miden, Traverse Video, Cefalu Film Festival, Proseco de Error].

@ The New Art Fest 2020

Partilhar esta página